Os benefícios da Respiração Diafragmática

março 18, 2015 Geral

Respiração (1)A respiração é vital para o nosso organismo, uma vez que o cérebro necessita de oxigênio para funcionar. No entanto, nos momentos de tensão e ansiedade – quando mais necessitamos que este funcione muito bem – acabamos por não supri-lo do tão necessitado oxigênio, pois respiramos muito rápido (hiperventilação) ou “trancamos” a respiração por tempo muito longo.

Nesses casos, o que acontece no organismo é uma reação chamada de luta-fuga, dada a pouca oxigenação. Essa reação consiste na interpretação do cérebro de qualquer situação estressante como sendo um perigo de vida, mesmo que seja somente uma reunião no trabalho, por exemplo. Assim, ele eleva o nosso nível de ansiedade ainda mais, para que possamos literalmente lutar contra o que está nos ameaçando (como se fosse um bicho perigoso ou um ladrão) ou correr bem rápido e sair de perto do agente estressor.

Erroneamente, quando queremos nos acalmar nessas situações, fazemos uma tentativa de “respirar fundo”, elevando nosso tórax, comprimindo a barriga e segurando a respiração. Essa respiração profunda, entretanto, não nos ajuda em nada e até piora a situação. O cérebro percebe que estamos fazendo um esforço enorme para respirar, mas que estamos recebendo muito pouco oxigênio em contrapartida e acaba por elevar novamente o nível de ansiedade para o mecanismo luta-fuga.

Então o que fazer?

Existe uma respiração chamada RESPIRAÇÃO DIAFRAGMÁTICA. Trata-se de uma estratégia terapêutica complementar em saúde, onde o diafragma, que é um músculo que separa o tórax do abdômen, se expande e leva o oxigênio presente no ar até o abdômen. Com isso, o volume de ar nos pulmões dobra, oxigenando todo o corpo, fazendo o cérebro funcionar muito melhor e reduzindo a ansiedade.

Essa estratégia terapêutica tem por objetivo aprofundar e diminuir o ciclo respiratório, que pode estar sofrendo influencias dos neuro-hormônios do estresse e da ansiedade.

Essa é a respiração que o nosso corpo percebe como sendo a mais natural, pois é a que nascemos sabendo fazer. É só reparar na parte do corpo que mais se movimenta nos bebês no momento da respiração. Não é o tórax (o peito) e sim a barriga (onde fica o diafragma)! Na respiração diafragmática a barriga se expande quando o ar entra e se comprime quando o ar sai e o peito quase não se movimenta. É o movimento contrário da respiração torácica. No entanto, com o sedentarismo e com a correria da vida moderna, desacostumamos com essa respiração e o diafragma quase não é mais utilizado.

Mas como atualmente a ansiedade e o estresse se encontram em níveis elevados em grande parte da população, precisamos voltar a fazê-la como primeiro passo para redução desses níveis. A respiração diafragmática pode ser utilizada a qualquer momento, porém deve ser treinada pelo menos uma vez ao dia para que possamos nos acostumar novamente com ela até que ela volte a ser natural para nós.

Os benefícios dessa respiração na literatura são abrangentes como, por exemplo, aumento da função pulmonar, estabilização do sistema nervoso autônomo, aumento do fluxo sanguíneo e linfático, diminuição da pressão arterial, aumento da função imune e da variabilidade da frequência cardíaca, melhora da digestão, aumento da sensação de relaxamento e melhora do padrão do sono.
Respiração passo a passo:

• Deite-se ou sente-se confortavelmente;
• Coloque uma mão no abdômen (barriga) e outra no tórax (peito);
• Respire pelo nariz e leve o ar até o abdômen, enchendo-o como se fosse um balão. Ele irá se expandir.
• Conte até dois devagar com o abdômen ainda expandido;
• Perceba que a mão que está na barriga irá se movimentar, mas a que está no tórax não;
• Solte a respiração pela boca devagar e esvazie o pulmão;
• Repita o processo quantas vezes achar necessário e perceba as diferenças no humor, no nível de ansiedade e até mesmo na capacidade de raciocínio.